Escolha uma Página
Hélio Higuchi e Paulo Roberto Bastos Jr.
A movimentação dos novos e antigos blindados do Exército
Em 18 de junho de 2007, o Exército Brasileiro (EB) publicou a Portaria Nº 88-EME que aprovava a Diretriz de Implantação do Projeto Leopard 1. Dentre outras coisas, ela determinava o seguinte:
1º Os novos carros de combate (CC) Leopard 1A5 equipariam os Regimentos de Carros de Combate (RCC);
2º Os antigos CC Leopard 1Be equipariam os Regimentos de Cavalaria Blindados (RCB);
3º Os CC M41-C Caxias e M60A3 TTS seriam retirados da ativa e aguardariam a baixa.
36 Leopard 1Be serão distribuidos em 3 RCB ( 4º de São Luiz Gonzaga,6º de Alegrete e 9º de São Gabriel, todos no Rio Grande do Sul) (Foto: Hélio Higuchi)
O objetivo dessa portaria era padronizar a força blindada com os CC Leopard 1, pois com a aquisição de 220 Leopard 1 A5 seria possível equipar todos os quatro RCC. Além disso, em teoria, o numero de Leopard 1Be em operação seria suficiente para dotar os 4 RCB existentes. Todavia, o elevado desgaste dos Leopard 1Be e o alto custo de sua recuperação tornou aquela diretiva obsoleta antes mesmo de sua implantação e obrigou o EB a rever as mudanças propostas para a sua força blindada.
Os M60A-3TTS ficaram concentrados no 20ºRCB de Campo Grande-MS (foto: Hélio Higuchi)
Os Leopard 1Be, sem condições operacionais (adquiridos da Bélgica na década de 1990), estão sendo recolhidos ao Parque de Material de Santa Maria (RS) para serem desmontados e utilizados como peças de reposição para os operacionais, assim como para os recém chegados 1A5. Pelo menos 80 estão previstos para serem desativados e, alguns deles, destinados para serem utilizados como monumentos em vários municípios bem como fazer parte do acervo de museus. Está planejado que 36 Leopard 1Be serão mantidos operacionais e distribuídos nos três RCB da Região Sul: o 4º RCB, de São Luiz Gonzaga; o 6ºRCB, de Alegrete; e o 9ºRCB, de São Gabriel, todos no Estado do Rio Grande do Sul. Devido ao baixo numero de Leopard 1 disponível, foi adiada a desativação dos M60A3 TTS e 28 destes seguiram para o 20º RCB, de Campo Grande (MS). Cada um dos RCB do Sul receberá um esquadrão de Leopard 1 A5, para completar seu quadro e elevar o moral da tropa, já que, em tese, é o equipamento mais moderno em uso pelo EB. Com essas mudanças no quadro dos RCB, os RCC tiveram a quantidade de Leopard 1A5 diminuída de 54 para 41 carros, equipando três esquadrões com 13 carros cada, ficando o Esquadrão de Comando e Serviços com dois carros.
Os M41C Caxias continuarão em atividade enquanto aguardam a chegada de todos os Leopard 1A5 , 9 deles pertencentes ao 4ºRCB foram recém revisados.(Foto: Hélio Higuchi)
Atualmente,os Leopard 1A5 se encontram em fase de conversão, e neste semestre estão programados para ocorrerem pelo menos quatro testes de tiro real, com o apoio de técnicos alemães, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), conhecido como Campo de Saicã, em Rosário do Sul (RS).
A chegada dos Leopard 1A5 também fez com que o EB mudasse sua cultura de implantação de equipamentos desse tipo. Eles serão entregues às suas respectivas unidades somente quando todos já estiverem no inventário do EB e as equipes de manutenção das unidades que vão empregá-los tiverem sido treinadas e consideradas aptas para a sua manutenção, com previsão para que isso ocorra apenas em 2012. Até lá, alguns M41-C ainda continuarão em atividade, sendo que nove deles, pertencentes ao 4º RCB, foram recentemente revisados.
Os recém chegados Leopard 1A5 estão em fase de conversão, sendo previsto estar operacional em 2012. (foto: Hélio Higuchi)

TECNOLOGIA & DEFESA

Skip to content