Escolha uma Página
7º BIB atuará em operações no complexo do Alemão
Fonte: Ag. Assmann/Janaína Zilio
Santa Cruz do Sul (RS)-Uma tropa formada por 695 homens será enviada em junho ao Rio de Janeiro pelo 7º Batalhão de Infantaria Blindado. A guarnição com sede em Santa Cruz foi convocada pelo Comando do Exército a integrar a Operação Arcanjo, para um conjunto de ações de pacificação nos complexos do Alemão e da Penha. Por 70 dias, os militares vão atuar a fim de preservar a ordem pública nas áreas ocupadas desde novembro do ano passado pelas Forças Armadas.
Além da força local, uma tropa do 29º BIB, de Santa Maria, será empregada na missão, que será comandada por um general de brigada. Somadas as companhias de fuzileiros e as equipes de inteligência e logística, o efetivo contará com mais de 1,8 mil envolvidos. O batalhão do Sul substituirá uma tropa especializada de São Paulo, que está em operação atualmente. A decisão sobre qual morro cada tropa assumirá vai acontecer apenas quando os militares chegarem ao local.
Para o comandante do 7º BIB, tenente-coronel José Herculano, que estará à frente da tropa na capital carioca, a indicação da guarnição foi um bom sinal. “Qualquer unidade poderia ter sido escolhida, então para nós é um orgulho, já que se trata de uma grande responsabilidade”, diz, acrescentando que os soldados estão preparados para enfrentar os possíveis riscos da operação nas áreas marcadas pela instabilidade. “Tenho certeza que a missão será cumprida de forma excelente, porque os soldados são ótimos e adquiriram conhecimento quando atuaram em situações de calamidade, como nas enchentes do ano passado aqui na cidade.”
Com a confirmação da convocação, o comando prepara agora o encaminhamento dos nomes dos militares que integrarão a tropa de forma voluntária. Como a missão exige conhecimento, serão aceitas apenas pessoas do Núcleo Base, que já atuem no Exército por pelo menos um ano. Guarnições de cidades vizinhas vão ser acionadas para reforçar a tropa, que deve ser formada em sua maioria por militares que já contam com experiências no exterior, como nas missões de 2007 e 2010 no Haiti.
Segundo Herculano, que esteve na condição de observador militar no Sudão entre 2007 e 2008, as diferenças entre a população do Rio e do Haiti são grandes. “O povo brasileiro é mais pacífico e tem um carinho natural pelo Exército”, entende. “As notícias que recebo de lá são que as pessoas se sentem mais seguras e não querem que as tropas saiam.” As Forças Armadas devem permanecer nas áreas até outubro.
TREINAMENTO
O batalhão começa agora uma rotina de preparação para patrulhamento ostensivo, operações de busca e apreensão, primeiros socorros, desobstrução de vias públicas, utilização de algemas e óculos de visão noturna, além de instruções gerais. O treinamento começará em maio no Centro de Instrução de Operações de Garantia da Lei e da Ordem, em Campinas (SP). Na sequência, haverá um período de reconhecimento da área de operação. O deslocamento da tropa acontece entre os dias 13 e 20 de junho, quando começa oficialmente a missão. Durante os trabalhos, os militares terão poder de polícia e atuarão em conjunto com as polícias Militar, Civil e Federal, para garantir a livre circulação dos moradores dos morros.
No decorrer do período, as atividades no 7º BIB continuam. O subcomandante, major Marcelo Batista Vargas, responderá pela guarnição.
Autor: Pedro Garcia
GAZETA DO SUL
Skip to content