Escolha uma Página
Blindado do Exército é posicionado em entrada do Alemão

Exército atuará como força de paz no Complexo do Alemão
Foto: Antonio Scorza/AFP
 

Um blindado do Exército foi posicionado na rua Joaquim de Queiroz, principal entrada do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira. A mudança de posições de patrulhamento ocorre um dia após o anúncio da atuação do Exército como força de paz no conjunto de favelas, nos moldes do que já acontece no Haiti.
Na manhã de ontem, o comandante do Exército, general Enzo Pari, anunciou as medidas. Ele ressaltou, no entanto, que o planejamento das tropas ainda será feito, com um estudo do contingente de militares que irá ocupar a área. O conjunto de favelas está ocupado por forças de segurança desde o último domingo.
O comandante disse ainda que aguarda uma decisão do ministro da Defesa, Nelson Jobim – com quem terá uma reunião no sábado -, para decidir maiores detalhes da nova ocupação, que deve acontecer a partir do dia 15. Segundo o general Adriano Junior, do Comando Militar do Leste, os militares vão continuar contando com o apoio das polícias militar e civil nas ações da comunidade.
Esse será o segundo momento de ocupação das forças de segurança no Complexo do Alemão. O general Enzo classificou a nova etapa como uma fase de pacificação.
As tropas brasileiras combateram, no Haiti, bandos que promoviam linchamentos em praça pública e aterrorizavam bairros. As quadrilhas, no entanto, não tinham tanto poder de fogo e ousadia como os traficantes do Rio, segundo o general Fernando Sardenberg, da Brigada de Paraquedistas de Infantaria, que apoiou as ações do Complexo do Alemão.
 
Violência no Rio
O Complexo do Alemão está ocupado pelas forças de segurança desde o dia 28 de novembro. A tomada do local aconteceu praticamente sem resistência numa ação conjunta da Polícia Militar, Civil, Federal e Forças Armadas. A polícia investiga uma possível fuga de traficantes pela tubulação de esgoto do Alemão antes dos policiais subirem o morro. Na quinta, 25 de novembro, a polícia assumiu o comando da Vila Cruzeiro, na Penha. Ambos dominados, até então, pela facção criminosa Comando Vermelho. As ações foram uma resposta do Estado a uma série de ataques, que começou na tarde do dia 21 de novembro. Em uma semana, pelo menos 39 pessoas morreram e mais de 180 veículos foram incendiados por criminosos nas ruas do Rio de Janeiro.

O Dia/TERRA

Skip to content