Escolha uma Página
Começa apenas no próximo dia 3/11 a operação força-tarefa para a liberação dos laudos das biópsias do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). A previsão é que a digitação dos exames dos 1,8 mil pendentes seja realizada em no máximo 15 dias. A demanda de atraso na emissão de laudos de biópsia e citologia tem exames de 2008.
A ação contará com oito profissionais do efetivo do comando do Exército para auxiliar na digitação desses laudos. Segundo o diretor administrativo do HBDF, Henrique Gustavo Tamm, serão seis sargentos e dois supervisores, sendo que a supervisão será formada por um profissional de Tecnologia da Informação (TI) e um médico. “Eles vão nos ajudar a digitar os laudos, desses sargentos, quatro possuem formação na área de saúde. Hoje, eles vieram aqui para ver a questão de logística”.
A equipe do Exercito levará os equipamentos necessários para realização do trabalho, que são os computadores portáteis (laptops) e pendrives. Em contrapartida, a unidade de saúde disponibilizará dois servidores do hospital, com conhecimentos técnicos na área de patologia para fazer os esclarecimentos dos termos técnicos e auxiliar na leitura em relação a letra dos médicos. “Após os dados dos laudos prontos, vamos fazer uma convocação para que os pacientes possam pegar os seus exames”, contou Henrique Gustavo.
Devido ao grande atraso, o diretor-geral do hospital, Luiz Carlos Schimin, determinou que será feita a priorização da digitação e entrega dos laudos que estiverem com suspeita de câncer. O setor de patologia do Hospital de Base do Distrito Federal produz mensalmente 1,2 mil laudos, de acordo como diretor. Paralelamente à força-tarefa, Schimin anunciou o início de estudos para informatizar todo o trabalho da anatomia patológica do hospital, para que os exames sejam liberados de forma mais rápida.
Skip to content