Escolha uma Página

Agentes da Divisão Antissequestro (DAS) prenderam, ontem à noite, na Barra da Tijuca, o principal segurança do chefe do tráfico da Favela da Rocinha, Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem. O ex-militar Jorge Luiz de Oliveira — que serviu sete anos e foi líder de turma do 26º Batalhão de Brigada Paraquedista do Exército — estava foragido desde 2005. Ele era um dos principais homens de guerra da quadrilha, atuando nas invasões da Vila dos Pinheiros, na Maré, em 2007, e ao Morro da Formiga, em janeiro deste ano.

PQD foi preso em frente a uma academia de ginástica na Rua Comandante Júlio de Moura, esquina com Avenida Olegário Maciel. Ele se preparava para encontrar um amigo para comprar roupas importadas de grifes famosas.
“Paralelamente a uma investigação em cima de uma quadrilha de sequestradores, recebemos a informação deste criminoso. Ainda que ele não tenha ligação com sequestros, tínhamos a obrigação de agir e prendê-lo, já que havia dois mandados de prisão contra ele”, afirmou o diretor da DAS, delegado Marcos Reimão.
Também conhecido na Rocinha como Predador, o preso integrava o ‘Bonde dos PQD’ da favela, que reúne vários ex-militares. Em 2006, quando o Exército subiu a Rocinha em busca de dez fuzis roubados de batalhão de São Cristóvão, o bandido foi um dos traficantes que enfrentaram os militares. “Eu estava com uma arma de brinquedo”, alegou ontem.
O criminoso afirmou que estava afastado do tráfico. As investigações da Polícia Civil indicam o contrário. Em 2008 PQD, de fato, chegou a ser afastado por Nem após uma acusação de estupro na favela. Após provar sua inocência no ‘tribunal paralelo’, ele retornou. Chegou a ser um dos chefes do tráfico do Morro do Vidigal e, atualmente, era segurança de Nem.
Sobre a guerra de São Conrado, há duas semanas, ele negou participação. “Estava na Rocinha quando me ligaram dizendo que achavam que era invasão de inimigos. Mas eu nem desci”, jurou Predador. Leia mais.
O DIA ONLINE
(Foto: Marcelo Theobald- EXTRA)
Skip to content