Escolha uma Página
Os Jogos Militares são promovidos pelo Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), que reúne 128 países de todo o planeta e mais de um milhão de atletas militares. São reconhecidos pela ONU como uma Organização promotora da Paz através do esporte. Em outubro de 2007, a competição foi realizada na Índia, nas cidades de Hyderabad e Bombain, com 71 países inscritos e 4.571 atletas.
Em 2011, a competição acontece no Rio de Janeiro. As modalidades que serão serão: Atletismo, Basquete, Boxe, Hipismo, esgrima, futebo, futsal, handebol, vela, judô, natação, pentatlo moderno, pentatlo militar, pentatlo naval, pentatlo aeronáutico, taekwondo, tiro, triatlo, vôlei e vôlei de praia.
E o Brasil está investindo pesado para ser campeão geral da competição. Pegou, nos últimos anos, a grande maioria de seus principais atletas e os transformou em militares, com cursos da Marinha, Aeronáutica e Exército.
E o resultado pode ser visto em muitas modalidades. O Brasil foi campeão mundial militar de vôlei, Yane Marques foi prata no mundial militar de pentatlo moderno, a esgrima brasileira ficou no pódio no mundial militar, os triatletas brasileiros são favoritos ao título. No taewkondo, o Brasil voltou muito medalhado do mundial disputado no Canadá em julho.
Na natação, na última semana, aconteceu o Mundial Militar, na Alemanha. O Brasil ficou na segunda posição na classificação geral de medalhas, com muitos dos atletas nadando melhor do que no Pan-Pacífico, competição que, na teoria, era o mais importante da temporada.
Foram 26 medalhas conquistadas, 14 delas de ouro, resultado inferior apenas ao dos alemães.
Destaque para Tales Cerdeira, ouro nos 50m peito com 27:77, 100 peito com 1:00:69 e os 200m peito com 2min11s. Na minha opinião, ele é a grande nome desta temporada do Brasil na natação, excluindo claro os “consagrados” Cielo, Thiago e Felipe. Só não foi bem no Pan-Pacífico porque foi desclassificado por uma filipina a mais.
Fabíola Molina teve o segundo melhor índice técnico feminino da competição (28:48 nos 50 costas) e terminou como a quinta mais eficiente da competição, com medalha inclusive nos 50m borboleta e nos 200m costas.Com 1m00s81 fez o recorde do campeonato nos 100m costas.
No masculino, Nicholas Santos e seus 23:42 nos 50 borboleta foram o melhor índice técnico seguidos de Tales Cerdeira e seus 27:77 nos 50 peito e Guilherme Guido e seus 25:12 nos 50 costas. No Troféu Eficiência masculino, deu Tales Cerdeira.
Skip to content