Escolha uma Página
Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil
Brasília – Os 200 militares que foram treinados pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal se juntam hoje (22) a agentes ambientais na tentativa de conter a epidemia de dengue na região. Depois de quatro dias de treinamento na semana passada, os homens devem atuar por um período mínimo de 45 dias, atendendo a pedido feito pela secretaria.
De acordo com o gerente de Controle de Vetores e Animais Peçonhentos, Humberto Oliveira Loiola, o trabalho dos militares é o mesmo realizado pelos 386 agentes ambientais do DF e inclui visitar casas, orientar moradores e eliminar depósitos que possam conter a larva do mosquito Aedes aegypti.
Os homens vão trabalhar de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h. As primeiras quatro cidades a receberem o reforço são Estrutural (50 militares do Exército), Planaltina (50 da Aeronáutica), São Sebastião (50 da Marinha) e Ceilândia (50 do Exército).
“O pedido é para 45 dias. Vamos avaliar [a necessidade de prorrogação do prazo] conforme surgirem efeitos. Pode acabar um pouco antes ou um pouco mais, vai depender do nosso trabalho”, disse Loiola. Ele atribuiu o aumento dos casos de dengue no DF ao período chuvoso, com maior umidade e muito calor. Mas admitiu também que o número de agentes não é suficiente para as ações de combate à doença.
“Gostaríamos de ter muito mais agentes do que temos”, afirmou. Segundo Loiola, a Secretaria de Saúde do DF prepara um concurso em caráter emergencial que deve contratar mais 500 agentes, mas ainda não há previsão para a publicação do edital. 
AGÊNCIA BRASIL
Skip to content