Escolha uma Página
O circo está armado no STF para a rejeição do pedido de abertura de processo contra o ex-ministro Antônio Palocci, pela violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa.
Em entrevista a Rosa Costa, do Estado de São Paulo, “Nildo” demonstra todo o seu desalento, que reflete muito bem o sentimento do povo brasileiro com “tudo isso que esta aí”, como diziam antigamente os petistas :
Como o sr. se sente sabendo que os ministros do STF devem rejeitar a denúncia contra o ex-ministro Antonio Palocci pela quebra do seu sigilo bancário?
Se julgassem o ministro, eu ia acender uma vela e agradecer a Deus. Mas como vai dar em pizza, só tenho a lamentar.
O sr. sente decepção?
Eu já sabia. Hoje o Brasil está como está. Tem mais de um mês que está nessa novela, sai Sarney, não sai Sarney e fica nisso mesmo. Ainda mais mexendo com político. O Brasil está muito bagunçado.
A que atribui essa decisão?
É tudo a mesma coisa, foi uma coisa grave (a acusação), não foi leviana, mas o passado passou, já era, aí eles pegam e enterram, botam na gaveta. Para ele (Palocci), isso aí significa uma boa vitória, porque vai ser absolvido. Lá tem muitas amizades, são muitos amigos. Se eu tivesse um amigo e se meu amigo estivesse precisando de dinheiro e, se eu tivesse, eu iria emprestar a ele. É um amigo ajudando outro.
Até agora nenhum dos envolvidos na quebra de seu sigilo teve de prestar contas à Justiça. E a sua situação, como está?
Eu estou na pior. Os outros estão bem. O homem vai se candidatar e, pelo andar da carruagem, com certeza tem condições de se eleger.
Skip to content